Geral

15,9% das mulheres da Região Metropolitana de Salvador são empregadas domésticas

Escrito por Pesquisa Web em 24 de Abril de 2019
[15,9% das mulheres da Região Metropolitana de Salvador são empregadas domésticas]

Um total de 15,9% das mulheres trabalhadoras da Região Metropolitana de Salvador atuam no emprego doméstico. Os dados foram divulgados na manhã desta quarta-feira (24) pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI). 

Entre 2012 e 2014, esse espaço de trabalho foi objeto de várias iniciativas de regularização e normatização, principalmente a partir de 2013, quando foi aprovada a Emenda Constitucional n° 72, que ampliou os direitos dos empregados domésticos – como proteção do salário, jornada máxima de trabalho, horas extras, segurança do trabalho, FGTS obrigatório, entre outros. 

Desde então, o nível de emprego doméstico cresceu em 2013 e 2014, e reduziu até 2018, período em que o país viveu uma crise econômica profunda. A contratação formalizada, que aumentou interruptamente de 2010 a 2017, diminuiu em 2018.

O emprego doméstico mensalista sem carteira de trabalho assinada reduziu pelo quarto ano consecutivo, enquanto o emprego doméstico diarista aumentou no último ano, alcançando o maior nível da série histórica anual, iniciada em 1997.  

Apesar de se manter como um importante espaço de trabalho para as mulheres, o emprego doméstico diminuiu seu peso na estrutura ocupacional delas ao longo do tempo. Em 1997, o segmento respondia por 22,2% da ocupação feminina, em 2018, a participação do trabalho doméstico passou a responder por 15,9%. Além disso, em 2018, o declínio do número de trabalhadoras domésticas em relação ao ano anterior foi contrário ao que ocorreu com contingente feminino ocupado, que cresceu.

Assim como observado para as mulheres em geral, o rendimento médio real por hora trabalhada das empregadas domésticas reduziu em 2018 (-1,4%), como reflexo do declínio nos rendimentos do segmento mensalista, já que entre as diaristas a remuneração manteve-se praticamente estável.

Neste estudo, são analisadas apenas as informações das mulheres no emprego doméstico, como maneira de melhor entender esse segmento em situações típicas, uma vez que os homens, além de comporem uma parcela muito pequena, costumam exercer atividades com características bastante distintas das desempenhadas pelas mulheres, como as de motorista e jardineiro.

Fonte: Correio

Compartilhe!